Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Miliuma

insónias | ideias | publicações

#131 costa alentejana e vicentina IV

 

Capítulos anteriores:

Costa Alentejana e Vicentina - parte I

Costa Alentejana e Vicentina - parte II

Costa Alentejana e Vicentina - parte III

 

milfontes-miliuma.jpg

 

A Herdade da Matinha teve direito a uma promessa de regresso. Deixando a Herdade, o primeiro destino foi a Praia do Malhão. Apaixonante e assustadora. O mar, de bandeira amarela hasteada, enrolava uma onda sobre outra onda sobre outra onda e não permitia respirar. Pedras bicudas escondiam-se enquanto a maré enchia, deixando-me imediatamente em alerta, atenta a cada veraneante que decidia mergulhar nas áreas das pedras sem as saber ali. Contudo, apesar do necessário cuidado com o mar, não se pode descer a Costa Vicentina sem visitar o Malhão. 

 

 

 

 

 

#63 enfim, cenas (do próximo capítulo)

 

Vinte e dois dias sem escrever uma linha. Duas semanas e qualquer coisa a descomprimir depois de um ano recheado de trabalhos, projectos, ideias, propostas, tantos nãos e uma mão cheia de sins. 

 

Não acredito que seja ainda algum vestígio do horário escolar. Depois do calor intenso do verão e das férias e com a chegada desta brisa fresca, o nosso corpo diz-nos que está na altura de começar outra vez. Novos planos, novas agendas, nova estação, novas roupas, novos cheiros, novas promessas. Eu faço de Setembro um prólogo ao meu ano que começa em Outubro, com o meu aniversário.

 

Partilho que este mês decidi uma série de coisas, quase-resoluções de ano novo sem a pressão de Janeiro a desfazer-se nas mãos demasiado depressa. A parte das minhas decisões que mais interessa é que a reentré do Miliuma é feita já - esta segunda-feira. Dentro da minha capacidade, claro, porque o tempo não estica e o dom da ubiquidade ainda não me foi concedido apesar dos múltiplos formulários que já preenchi nesta requisição infrutífera, estarei a dedicar-me a este novo semestre de Miliuma com o apoio de profissionais que me orientarão nesta próxima jornada. Quando o Miliuma, em Março, completar o seu primeiro aniversário, então aí faremos uma festa e logo decidirei os planos de futuro. Por agora, baby steps.

 

Que venha um semestre cheio de força e que eu consiga manter-me com este entusiasmo com o qual agora vos escrevo. Contem com nada menos do que vos dei até agora: um blogue humilde, sem pretensões nem maroscas, feito de posts íntegros, frutos da minha opinião própria, das minhas pesquisas e investigações, das minhas escolhas pessoais, da minha aprendizagem e das minhas manias. Das miliuma insónias e das miliuma ideias que me surgem diariamente e que vão mudando, com(o) o tempo. Enfim, cenas.

 

©José Pinto Ribeiro

 

 

Está tudo bem, diria ele. E está. Não é para ser perfeito, porra, é para ser real.

 

 

 

#19 NOS, vamos?

 

No ano passado fui a enviada especial da Revista Gerador ao Festival NOS Primavera Sound. Porquê? Porque não suporto festivais de verão. Se isto vos despertou um mínimo de curiosidade, podem ler aqui o artigo completo e descobrir como acabaram os meus três dias de castigo.

 

 

E este ano, NOS Primavera Sound?