Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MILIUMA

insónias | ideias | publicações

MILIUMA

#87 vamos lá ter um emprego como deve ser

 

Já não é a primeira vez que Candela Peña pede trabalho em público, à comunicação ou em entregas de prémios, sem qualquer pudor. Não tenho como não empatizar com a sua causa. Desta vez, foi na passadeira vermelha dos Goya, que, quando abordada pelos jornalistas, soltou: «Pues muy bien, que me den trabajo, porque llevo meses sin rodar y tengo que pagar la luz y las facturas.»

 

O documentarista Paulo Carneiro chamou-me à atenção para este artigo, que menciona Candela Peña e descreve brevemente a precariedade na área do cinema. Passei para os comentários que, como é habitual - e, pelos vistos, não são só um cancro das publicações portuguesas - são tremendos. Um tipo dizia-lhe que arranjasse um trabalho normal, de gente normal.  E outra: Que vá lavar escadas, como as outras pessoas.

 

Vamos lá ver: o que é ter um trabalho normal? Como gente normal? É ter um trabalho não-qualificado? Não pode ser um trabalho qualquer, como médico, advogado ou professor, com certeza. Porque para esses também é preciso um curso superior, colocações - e eles também correm o risco de se queixarem, atenção. Um trabalho normal é lavar escadas, servir a mesas de restaurantes de segunda que não peçam curso de hotelaria, reposição em armazéns e supermercados, ser funcionária da caixa registadora, empregada doméstica? É isso, não é? Porque fora desses trabalhos, bom, somos todos uns queixinhas exigentes. Trabalho artístico? Isso é para mandriões! Vão trabalhar, chupistas!

 

LER MAIS )

 

#68 sistema start-stop

 

No dia 24 de Setembro falei sobre recomeços e mudanças. Tinha terminado de gravar "A Impostora" e "Mulheres Assim" havia pouco tempo. Tudo acontece assim, de um dia para o outro. Antes de conseguir perceber que nova fase era esta que eu antecipava, fui dar corpo a mais uma personagem. Desta ainda não posso falar, posso apenas dizer que já terminou e que apesar de muito muito pequenina, me deu um extremo gozo interpretá-la (não me é comum interpretar personagens históricas e é uma delícia!).

 

 

 

#60 ainda dá tempo

 

Produzi este vídeo há três anos atrás. Falei com todos os pais, tirei fotos aos filhos deles, bonitos.

 

Morei um ano em São Paulo e não tenho saudades do Brasil. É um país que não me encanta em demasiados aspectos. Mas, mesmo com todas as suas vicissitudes, há dias em que penso que, no Brasil, em Cuba ou em Portugal, três países que conheço bem, tudo poderia ser muito melhor se o grupo de pessoas que se senta nas cadeiras de pele lustrosa da governação gostassem tanto do país como os que neles votaram; se gostassem mais do país do que deles próprios, enquanto seres individualistas e dotados do mais profundo egoísmo.

 

Ainda assim, com mais de dois milhões de visualizações, são os vídeos de esperança que nós continuamos a preferir:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Se o vídeo não abrir, aqui segue o link:

- https://vimeo.com/78245147 - 

 

#23 contagem decrescente

 

Nunca te visitei, Madeira, mas já gosto tanto de ti.

Não sei se é este abismo hipnotizante das fotografias pelas quais vagueio no Google, se é do nevoeiro que parece pousado de propósito para o quadro.

Eu tenho vertigens e anseio subir-te, ignorar a tontura e o enjoo, encostar-me a uma montanha e olhar-te de frente, sentir o ar rarefeito do topo do Pico e, bom, e se realmente corresponderes à expectativa, sorrir.

 

Só falta uma semana para pisar-te. Saberás tão bem quanto eu como correu, se esse será o primeiro de muitos dias, se será a primeira de muitas viagens.

 

Não sei se é deste verde que te emoldura, Madeira, bonita, não sei se é por saber que após tantas montanhas e tanto nevoeiro vou conseguir ver o teu mar. 

 

© desconhecido

 

E, claro, aceito dicas para a viagem e truques úteis. Vou estar no Madeira Film Festival (com o Vícios Para Uma Família Feliz) todos os dias e, tenho a certeza, bastante e muito bem ocupada. Mas e coisas como: mosquitos, temperatura e etc? Transportes? Contactos importantes dos que não se encontram na internet? Agradeço!

 

Chega de romantismos, é hora de ir gravar!