Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Miliuma

insónias | ideias | publicações

#136 seis semanas (ou quanto tempo leva o esquecimento)

furacao irma miliuma cuba.jpg

 

Seis semanas foi quanto demorei a ter vontade de voltar a escrever.

 

Seis semanas de férias do blogue, seis semanas a arruinarem as estatísticas que as marcas me pedem para fecharem parcerias.

 

Seis semanas foram o suficiente para a frase passar de Como está o teu blogue para Tu não tinhas um blogue?

 

Em seis semanas filmei um anúncio, gravei uma série do princípio ao fim, fui ao teatro, visitei a minha família nas suas férias algarvias, fui nomeada para dois prémios de melhor atriz e visitei o Porto Santo pela primeira vez. Em seis semanas dormi horas a fio e apanhei consideravelmente pouco sol. Li pouco, comi muito e pensei muito longe do suficiente. Tirei, creio, algumas conclusões.

 

#91 o primeiro aniversário da Miliuma

 

Há um ano estava ansiosa a escrever os primeiros posts para ficarem prontos no dia 1, a decidir com a Sapo tipos de letra e tamanhos das fontes.

Há um ano estava a provar gins na Gin Lovers® até chegar ao Gin Miliuma®, a convidar amigos para celebrarem comigo este começo de qualquer coisa.

Há um ano o céu estava menos nublado e a temperatura um pouquinho mais alta. Há um ano estava cheia de medo.

 

Não me tomem, por favor, como presunçosa. Eu sei que esta coisa não é de extrema importância para qualquer um dos leitores que por aqui se deixa ficar. Nem para mundo, portanto, porquê o medo e a ansiedade? Porque é importante para mim. É uma desconstrução do meu eu nas suas diversas esferas de interesse, é uma tentativa de, paradoxalmente, roçar um narcisismo necessário com o intuito de expor o que guardo em demasia e quizas, nessa nessa fuga interna-externa, a informação e as sensações se colarem também a vocês - e o que antes era meu passar a ser também, de alguma forma vosso.

 

Conheci umas quantas pessoas que, de um dia para o outro, desapareceram do planeta. Os mais optimistas dizem que se tornaram pó de estrela. Assim, de um dia para o outro. Não posso de todo almejar que um simples blog onde falo de tantas coisas tenha qualidade para ser considerado um legado. Mas se há coisa que aprendi neste rápido e breve primeiro ano de existência do Miliuma, é que ele pode ser um postal, uma fotografia de um lado, um texto do outro, destinatário world wide web.

 

Promessas eleitorais

O ano que agora termina foi uma introdução, ano zero desta aventura.

Este ano vou escrever muito, sobre quase tudo o que penso, me incomoda ou me agrada.

Vou filmar-me, vou filmar os outros, vou filmar a vida.

Vou continuar a motivar-me com a maravilha de comentários que recebo e com as mensagens quem me pede que escreva mais.

Vou partilhar! ♥︎

Vou viajar e falar de tudo, vou calcorrear Lisboa e Porto e Portugal e falar de tudo, vou criar projectos novos e falar de tudo.

Uma coisa é certa, eu sempre fui feita de miliuma coisas. Com este meu pequeno grande projecto, só passei a assumi-lo todos os dias.

 

Este ano vou fechar um ciclo e começar outro que se espera que seja ainda mais intenso e positivo.

 

 

 

Obrigada pela preferência, pessoas.

Que ano!

 

#67 mariscada na ribeira

 

Desde o Peixe em Lisboa que procurava incessantemente bons locais para comer caranguejo de casca mole, essa paixão instantânea surgida no último dia do evento. Na Marisqueira Ribamar, em Sesimbra, não os fazem constantemente e ficam-me, com franqueza, fora de mão. Entretanto, experimentei na maravilhosa Miss Jappa mas pareceu-me caro para um maki de tempura do dito caranguejo. Dizem que o Prego na Peixaria já tem, mas ainda não provei. O Chapitô à Mesa serviu-os também em tempura durante uns dias, mas não cheguei a tempo de os degustar. Restava a Marisqueira Azul, na esplanada exterior do Mercado da Ribeira. Confesso que pensei que seria demasiado caro, pela localização e o excelente ambiente e por isso fui adiando a visita.

 

 

 

#62 seis meses e bom fim-de-semana

 

Num piscar de olhos se passam seis meses. É oficialmente um bebé. Ainda a dar os primeiros erros e a reajustar-se. Em sessenta e uma publicações já me expus e manifestei mais do que alguma vez imaginei que conseguiria, mas a bom ritmo para o que me foi proposto - por mim a mim mesma. Não tinha feito promessas, quis só seguir o meu caminho, em partilha e comunidade com a verdade e com os que me lêem. Boa, miúda.

 

Por causa do Miliuma já fiz amizades e isso, se não for de louvar, que seja pelo menos de referir. Decidi que me ia fazer feliz, fiquei com medo e lancei-me. Seis meses depois estou aqui, na insónia número sessenta e dois, a dormir cada vez pior, não por problemas, mas por ideias de sobra, pelo corpo que, em alguns dias, nem sabe descansar com tanta felicidade.

 

 

 

 

© origem da fotografia desconhecida - contudo, dedicada sempre a ti. ♥︎