Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Miliuma

insónias | ideias | publicações

#47 burla é crime!

 

Durante anos, a burla do príncipe nigeriano, mascarada de várias abordagens e fortemente apoiada pelo facilitismo da Western Union, enganou e roubou tanta e tanta gente que conheço. Desenganem-se, não foi só aos mais incautos. A famosa burla proliferou a nível global e foi, inclusivamente, alvo de graça em episódios de sitcoms como o “How I Met Your Mother”. Sites como CraigsList nos Estados Unidos, MercadoLivre no Brasil e OLX em Portugal são ninhos perfeitos para estas vespas peludinhas e venenosas, que tanto me tiram do sério. Falo por mim, 2013, uma câmara de filmar da Canon ficou algures no Brasil através do MercadoLivre, o dinheiro nunca vi, mas também não enviei o meu.

 

Sim, porque através de emails falsos e cópias perfeitas de sites de bancos, conseguem convencer as pessoas a enviar não só o material que estão a vender, mas tantas e tantas vezes dinheiro para equilibrar transações bancárias, ofertas chorudas em troca do equipamento e do troco. Estes pequenos animais não negociam, dão-nos o valor inicial sem discussão e ainda se oferecem para pagar os portes. Geralmente, não estão em Portugal, é melhor enviar para a casa da prima, que após uma pesquisa no Google Maps, mora num autêntico descampado nos arredores dos arredores de uma aldeia de 15 moradores. 

 

E assim fomos criando mecanismos de defesa: entregar câmaras fotográficas e lentes em mão, testar equipamentos em contra-entrega dos correios, falar com as pessoas ao telefone e fazer uma triagem minimamente intuitiva. Já toda a gente, acho eu, anda avisado das burlas que minam o bom intuito do OLX e de sites semelhantes.

 

 

Eis se não quando, à boleia da minha curiosidade, vi o anúncio de uma casa incrível, nova, T2+1, 630€ nas Avenidas Novas. Anos passados sem pensar em burlas, a minha inocência que me é característica fez o reset habitual e toca a contactar o proprietário para saber mais. Número não atribuído. Jantar de aniversário do L. e a esposa diz-me prontamente que é demasiado bom para ser verdade e que eles sabem que é burla, que andaram recentemente à procura de casa e lidaram com umas quantas assim. Que choque. Andei horas à volta do entusiasmo de rendas interessantes e casas magníficas que me levavam às sugestões “se viu este apartamento, também deve gostar de…” e gostava, pois. Um atrás do outro.

 

Hoje decidi fazer uma triagem verdadeira aos anúncios que circulam sobre as casas lisboetas. Rapidamente, descobri todas as burlas. Dá trabalho, mas aqui vai o que têm que fazer para nem sequer perderem tempo a sonhar com o que não existe:

1- verificar se o nome é português ou uma tentativa de nome português mal escrito: exemplo Hellena Cagnoto em vez de Helena Canhoto

2 - ligar para o número associado: se for burla, quase de certeza é um número não atribuído

3 - a descrição da casa foi escrita pelo google translate.

4 - e agora o truque infalível: fazer download da primeira imagem e fazer o upload da mesma para images.google.com . Verá que tem muito bom gosto na escolha das casas, porque a maior parte das imagens vem de sites de decoração italianos :)

 

Sugiro duas coisas, que partilhem este post (sim, isso é bom para o meu blog e tal, mas realmente considero importantíssimo que terminemos com esta onda e que não deixemos os nosso amigos serem burlados nesta procura de casa que, normalmente, já é tão difícil) e que os sites como casa sapo, imovirtual e outros verifiquem a autenticidade de quem coloca os anúncios.

 

Burla é crime!

 

 

 

Nota - já enviei um email para a Casa Sapo a pedir o mesmo. Não seriam bom que criassem um botão para denunciar o "scam" logo abaixo do anúncio? Fica a dica!

 

 

 

 

 

 

4 comentários

comentar publicação