Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Miliuma

insónias | ideias | publicações

#3 como escolher um nome de um blog

ou como chateei várias pessoas que tenho em altíssima conta e tive de parar antes que elas desistissem da nossa amizade.
 

 

Quando conto as minhas histórias, muitos me dizem: devias escrever isso! Ora, na tal epifania dos trinta + passagem do ano para 2016, decidi-me então a passar uma série de coisas para papel ou, neste caso, a web. Juntei uma data de amigos (jornalistas, escritores, bloggers, directores criativos, gestores de redes sociais, por aí fora) num grupo de facebook e comecei a pedir-lhe opiniões para nomes.

 

A R. disse logo canhoto por linhas tortas e confesso que foi o nome que quase aguentou até ao fim. Daí, muitos foram surgindo, com base no meu objectivo: escrever sobre uma boa quantidade de coisas, sobre o que me surgir, como uma conversa (quase) sincera com quem quer que seja que lhe interesse ler sobre a e coisas d'a canhoto.

 

Havia um problema, e agora vem a moral da história: nenhum dos nomes me convenciam porque não eram meus, eram os meus favoritos de sugestões dos outros, que me aturaram com cara desconfiada durante semanas, até ganhar coragem para dizer não é nada disto que eu quero.

 

Resolução do problema e capítulo final: reuni com o João Amaral, o designer. Pediu-me para descrever o conceito. Expliquei-lhe que desde criança sempre tive insónias e escrevia na minha cabeça textos enormes, com vírgulas e parágrafos. Posts sem saber o que eram posts. Que nessas mil e uma noites de insónias me surgiam mil e uma ideias e que o blog era, na verdade, sobre mil e uma coisas. Calei-me. Miliuma. Miliuma sou eu. (Porque não fazer miliuma publicações?)

 

 

19 comentários

comentar publicação