Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Miliuma

insónias | ideias | publicações

#28 cemitério de películas

 

Escrevo este post na cama, enquanto me imagino daqui a umas horas a percorrer a promenade madeirense, sentir a brisa e pensar neste mar de ideias que nunca conhecem esta luz.

 

Há filmes que ficaram na memória de pouco mais gente do que aquela que os criou. São como affairs terminados com o mesmo secretismo do começo, guardados em arquivos, dentro de arquivos, fechados a palavras-passe.

 

Aqui, a minha personagem chorava a morte do melhor amigo e doía-se por saber que ia ter de contar a notícia à mãe deste, sem piedade que a pudesse ajudar no momento.

 

Aqui, interpreto a actriz que quer mais do que fazer slow motions aleatórios com instrumentos na mão, um meta-filme sobre as dificuldades de cada membro de uma produção sem orçamento.

 

Nos dois, o cheiro do dia, a temperatura no corpo, as condições que antecederam o "acção" e resultaram do "corta" e nos fazem, só a nós, perceber porque tudo aconteceu assim.